Image for post
Image for post

Se a ficção é o que é, suponho que a nossa profundidade é rasa.

O raso é raso até quando?

A epistemologia das coisas, na qualidade de reflexão geral em torno da natureza, faz com que eu, enquanto um quase coisa, ora acredite que sou um sujeito indagativo que sonha que é um objeto inerte, ora acredite que sou um objeto inerte que sonha que é um sujeito indagativo.

O paradigma é um paradoxo.

E quem sou eu para nadar a favor da maré dessas profundidades tão rasas?

Assintomático, organizo-me enquanto um quase coisa, um não escritor, um meta artista.

O meu manifesto é um contramanifesto.

A minha situação é um buraco negro no sol central do universo.

Alguém sabe onde fica o centro ou se o universo tem um centro, quanto mais um sol central?

A não resposta está em Hermes Trismegisto, que é o megazord formado por Epicuro, Tagore e Viracocha.

Written by

Escritor e editor. Conheça meu trabalho em leoescreve.com.br

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store